sexta-feira, 5 de abril de 2013

1 Samuel – Aula 08




1-    11.3 Nos livre (Hb. Yasha’, “salvação”, termo que dá origem ao nome yehoshua’, “Jesus”).
2-    O cap. 11 começa bem esperançoso. A palavra yasha’ (“salvação”, “libertação”) parece três vezes (versículos 3, 9 e 13).
3-    Aqui, Deus humilha as pessoas que duvidaram de Saul, dizendo “como este jovem poderá nos salvar?”.
4-    Deus traz a resposta: “Pelo poder do Espírito Santo”.
5-    Segundo os manuscritos do Mar Morto (4QSama), Naás já havia arrancado os olhos de muitos judeus.
6-    Mas 7 mil homens escaparam e se refugiaram em Jabes Gileade.
7-    Arrancar o olho direito deixaria os homens em eterna escravidão, pois nas batalhas o olho esquerdo era geralmente coberto pelo escudo, sobrando apenas o direito para enxergar o inimigo.
8-    Ou seja, a serpente não queria destruir, mas escravizar.
9-    É isso que a serpente continua fazendo até hoje.
10-                     Até o momento em que o Espírito de Deus toma um homem e este “desfaz as obras do inimigo”.
11-                     O interessante é que o tema da serpente relacionada ao único olho é muito comum.
12-                     Os illuminati;
13-                     Trinacria;
14-                     O Dajal (Al-Masih Ad-Dajal, “o falso Messias”) – Só tem um olho;
15-                     O olho de Horus - Segundo uma lenda, o olho esquerdo de Hórus simbolizava a Lua e o direito, o Sol. Durante uma luta, o deus Seth arrancou o olho esquerdo de Hórus, o qual foi substituído por este amuleto, que não lhe dava visão total, colocando então também uma serpente sobre sua cabeça. Depois da sua recuperação, Horus pôde organizar novos combates que o levaram à vitória decisiva sobre Seth.
16-                     Odin: Quanto ao elevado saber de Odin, relata-se que nem sempre foi assim, sábio e mágico poderoso; ávido por conhecer todas as coisas, quis beber da fonte da Sabedoria, onde o freixo Yggdrasill mergulha uma das raízes; mas Mímir, seu tio, o guardião da fonte, sábio e prudente, só lhe concedeu o favor com a condição de que Ódin lhe desse um de seus olhos.
17-                     O terceiro olho: Ajna chakra, buidismo, Hinduísmo, Surat Shabda Yoga e Rosacruzes.
18-                     O olho de Sauron: Senhor dos Anéis.
19-                     Quando se fala da serpente, outro paralelismo é encontrado nesta citação. Como já falamos, Sauron podia adotar diversas formas. Durante a Primeira Era, sua forma costumeira parece ter sido a de um feiticeiro escuro, exercendo a função de comandante de várias criaturas malignas, em especial os Lobisomens. Foi nesta época que Sauron assumiu a forma de um lobo monstruoso em Tol-em-Gaurhoth para lutar contra Huan.  Durante essa batalha, Sauron se transformou em uma serpente:
20-                     “Contudo, nem feitiço nem encanto, nem garra nem veneno, nem arte demoníaca nem força animal, nada conseguiu derrubar Huan de Valinor. E ele abocanhou o adversário pela garganta e o dominou. Sauron, então, mudou de forma, de lobo para serpente, e de monstro para sua forma costumeira, mas não conseguiu se livrar de Huan sem abandonar totalmente seu corpo. Antes que seu espírito imundo deixasse sua casa sinistra, Lúthien veio até ele e disse que ele perderia sua vestimenta de carne, e seu espectro seria mandado trêmulo de volta a Morgoth” (J.R.R Tolkien, O Silmarillion, pg 114)
21-                     Jesus (yehoshua’), porém, é aquele que traz a salvação (yasha’), e destrói o império do olho.
22-                     ישׁוּע
23-                     “A mão que destrói o estabelecimento do olho”.
24-                     11.2 Vergonha (Hb. cherpah). A serpente sente prazer em envergonhas as pessoas, em humilhá-las.
25-                     Quando vezes não encontramos pessoas assim dentro da própria igreja?  
26-                     O curioso é que a palavra cherpah (“vergonha”) está relacionada com charaph, que significa “desposar”.
27-                     Isso porque Jesus deixa que sua noiva passe certas aflições de modo que possa estar burilada e preparada.
28-                     “E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança” (Romanos 5.3-4).
29-                     “Ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conhecias, nem teus pais o conheciam, para te dar a entender que não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do SENHOR viverá o homem” (Deuteronômio 8.3).
30-                     11.6 O Espírito se apossou de Saul (Hb. tsalach). Essa expressão só havia sido usada para ilustrar o modo como o Espírito Santo se relacionava com Sansão (Juízes 14.6, 19; 15:14).
31-                     Saul é, então, representado como um “super juiz”, mas não como um rei.
32-                     Semelhanças entre Saul e os juízes:
33-                     Divide suas tropas em três partes (v. 11) como Gideão (Juízes 7.16);
34-                     Quando corta o touro em pedaços (v. 7) lembramos do final do livro de juízes (Juízes 19.29);
35-                     Saul é apresentado como um “salvador” (Hb. moshiya`) assim como Otoniel e Eúde (Juízes 3.9, 15).
36-                     Gibeá, que antes era quase que como uma Sodoma (Juízes 19-21), agora é usada para trazer a salvação ao povo.
37-                     Mais uma vez, Deus mostra que sem Ele, “nada podemos fazer” (João 15.5).
38-                     11.14 Renovemos o reino (Hb. chadash). Para renovar, é sinal de que a primeira parte havia algo que deteriorara.
39-                     Mas qual reino será renovado, o de Saul ou o de Yaweh?  
40-                     Robert Vannoy defende que Samuel estava convidando o povo a renovar sua aliança com Yaweh e reconhecer novamente a soberania do Senhor.
41-                     O povo havia rejeitado o Senhor ao pedir um rei humano. Era, portanto, necessário que a aliança com o Senhor fosse renovada.
         

Nenhum comentário:

Postar um comentário