sexta-feira, 16 de agosto de 2013

1 Samuel – Aula 19



1-    20.30 Filho de mulher perversa e rebelde (Hb. ben-na`avath hammarduth). O curioso é que o termo “rebelde” (Hb. marduth) vem de marad, que tem a mesma origem que Maria (Gr. Μαρία), que é a versão que de Miriam (Hb. miryam), cuja raiz significa “amargura”, “rebelde”, “enfurecida”, “pingo” (Hb. mar).
2-    Aos olhos do mundo, Jônatas e Jesus eram filhos bastardos. Aos olhos de Deus, eram presentes dado por Ele à humanidade.
3-    20.31 Manda buscá-lo. Segundo Matthew Poole, Saul tenta lançar em Jônatas o veneno que estava sobre ele: culpar Davi pela perda do reino. Porém, sabemos que Jônatas nunca chegaria a ser rei não pela artimanha de Davi, mas pelo próprio pecado de Saul.
4-    20.33 Atirou-lhe a lança. Saul estava de tal modo endemoninhado que intentou contra a vida de seu próprio filho.
5-    20.34 Muito sentido (Hb. ‘atsab). Significa “triste”, “pesado”, “de luto”. Com a decadência moral e espiritual de seu pai e a injustiça que Saul estava prestes a fazer com Davi.
6-     20.35 Levou consigo um rapaz (Hb. vena`ar qathon `immo). O curioso é que a expressão “consigo” (Hb. ‘immo) soa muito parecido com “seu povo” (‘ammo – Gênesis 49.16). Ou seja, todos estavam contra a verdade e contra Jônatas e Davi. Depois daquele dia, com a fuga de Davi, Jônatas estaria sozinho como defensor da verdade. Seu povo se resumiria ao pequeno jovem que levou consigo. Ser um defensor da verdade é, muitas vezes, sentir-se completamente só, como Elias no Monte Sinai.
7-    10.36 Que eu atirar (Hb. 'asher 'ânokhiy moreh). O verbo atirar (Hb. yarah), na conjugação aqui utilizada (moreh) também pode ser traduzido como “ensinou” (2 Reis 17.28) ou “chuva” (Joel 2.23). Soa muito parecido com “navalha” (morah – Juízes 16.17) ou “medo” (morah – Salmos 9.20).
8-    A flecha lançada (moreh) por Jônatas ensinou muitas coisas a ele e a Davi sobre o alto preço que o verdadeiro homem de Deus vai pagar nesta Terra.
9-    Esse desligamento de Davi do exército de Israel, esse corte, semelhante ao de uma navalha (morah), trouxe medo (morah) tanto a Davi como a Jônatas, mas eles experimentaram a chuva (morah) de Deus em suas vidas mesmo em meio ao mais profundo deserto pelos quais passariam.
10-                     20.37 Mais para lá (Hb. vahal'ah). Este termo (Hb. hale’ah) pode ser traduzido como “além”, “em diante” ou “longe”. Com este código dado por Jônatas, Davi entendeu que deveria ir embora, deixando tudo aquilo que havia consquistado nos últimos tempos: a honra, o respeito, o posto como oficial, a esposa e o prestígio. Porém, aquilo era necessário para ele desenvolver sua fé e seu chamado como rei, indo mais longe em sua intimidade com Deus e sua preparação para exercer aquela grande vocação divina que havia em sua vida.
11-                     O interessante é que a expressão “para lá” (hale’ah) está relacionada com as palavras “glorioso”, “famoso”, “louvado” (Hb. tehillah); “celebração”, “festa” (hillul); “brilho” ou “tenda” (‘ahal); “diamante” (yahalom).
12-                     Ou seja, no código que Jônatas ordenou a Davi que fugisse, ele também estava dizendo: “Fuja, mas não perca a fé. Você será glorioso, famoso, louvado e celebrado. Haverá uma festa quando o ministério de Deus em sua vida for cumprido. Você habitará no deserto, em tendas, mas brilhará e será forte e precioso como um diamante!”.
13-                     O curioso é que todos os termos acima também se relacionam com a palavra “louco” (Hb. halal). E foi se fingindo de louco que Davi evitou sua morte na mão de Aquis, rei de Gate, uma das cinco cidades reais dos filisteus (1 Samuel 21.13).
14-                     20.39 Deste ajuste (Hb. haddabhâr). A expressão “o ajuste” ou “o assunto” (Hb. haddabhâr) soa muito parecido com “praga” (Hb. haddebher – Deuteronômio 28.21).
15-                      Somente Jônatas e Davi tinham consciência das sérias consequências que e rebeldia de Saul traria a toda a nação de Israel, por ter desobedecido a lei de Deus, ficando, portanto, sujeitos às maldições de Deuteronômio 28.15-46.  
16-                     20.41 Em terra (Hb. 'artsâh). Essa expressão soa muito semelhante com “eu aceitarei” ('ertseh - Ezequiel 20.41) e “eu fugirei” ('ârutsâh - 2 Samuel 18.22).
17-                     20.42 Descendência (Hb. Zera'). A palavra se relaciona a zara', a "semear", "espalhar semente". Davi e Jonatas, com suas vidas, estavam semeando algo muito forte e importante na vida de Israel: temor a Deus, obediência ao Senhor e santidade.
18-                     20.43 Entrou na cidade (Hb. 'Iyr). Associado a 'ar, "agitação", "angustia", "inimigo". Davi fugir de seus perseguidores, enquanto Jonatas voltou para a cidade e teve que lidar com seus falsos amigos, e todo o terror que envolvia aquela conspiração diabólica que se havia implantado na nação de Israel.
19-                     21.1 Nobe (Hb. Nov, "lugar alto"). Relaciona-se com o termo nabab, que significa "oco". Curiosamente, é um dos termos usados para falar do altar do holocausto (Êxodo 27.8). Pode ser traduzido também como estúpido, ou seja, o homem que é oco. Mas o oco será sábio quando o filho do asno nascer homem (Jó 11.12).
20-                     O curioso é que Nobe (Hb. Nob, "local elevado") é o local de habitação dos profetas (Hb. Nevi'im), ou seja, "aqueles que prosperam" (Hb. Nuv), ou "aqueles que dentro de si há uma frutificação".         
21-                     21.1 Aimeleque (Hb. 'achiymelek). “Meu irmão é rei”.
22-                     21.3 Cinco pães (Hb. chamesh). O termo chamesh (cinco) é semelhante a chamush, "armado", "arregimentado", "vanguarda", em formação de combate, ordenados para a batalha em grupos de cinco homens armados. A palavra pão em hebraico (lechem), é quase a mesma palavra para "luta" (lacham).
23-                     21.4 Pão comum (Hb. Chol). Ao mesmo tempo simbolizava "não tenho alimento comum, profano, como areia no deserto, algo sem valor" como "não tenho uma luta comum, mas somente uma luta santa". Coisas que imperam nas igrejas hoje: uma palavra comum, que é como areia no deserto, não tendo nada de especial, assim como lutas que não são santas, mas somente lutas comuns, humanas e profanas.
24-                     21.6 Pães da proposição (Hb. Paniym, "faces"). Ou seja "pão das faces". Ao comer aquele pão, o sacerdota entrava em comunhão com Deus, "entrarei e cearei com ele".
25-                     21.6 Trocado por pão quente (Hb. chom). O frio não pode permanecer na presença de Deus, ele precisa ser trocado pelo quente.

26-                     21.10 Aquis (Hb. 'Akiysh = "Eu denegrirei (ou aterrorizarei)" ou "somente um homem").              

Nenhum comentário:

Postar um comentário